CRM - CLINICA DE REABILITAÇÃO MENTE E CORPO - FISIOTERAPIA
SAÚDE E BEM ESTAR
HISTÓRIAS DAS TERAPIASSOBRE A CLÍNICA CRMServicesPARCERIAS e links interessantesCONTATOGaleria de ImagensBlog
 
HISTÓRIAS DAS TERAPIAS

UM POUCO SOBRE A FISIOTERAPIA

  • Fisioterapia é o tratamento de pacientes por diferentes meios físicos com o objetivo de restaurar ao máximo a sua capacidade funcional e independência para o trabalho, no lar e na sociedade, conjuntamente com outros profissionais de saúde. (WCPT)

 

  • É uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em orgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da Biologia, da ciências morfológicas (anatomia humana), das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da cinesia patológica de órgãos e sistemas do corpo humano e as disciplinas comportamentais e sociais. (www.coffito.org.br

Existe uma formação superior para que o profissional fisioterapeuta possa atuar legalmente a profissão, sendo portanto necessário cursar uma Faculdade de Fisioterapia, curso este com no mínimo 4 anos de formação, constanto inclusive os estágios obrigatórios. Na faculdade o aluno vai estudar várias disciplinas que são: Anatomia Humana, Fisiologia, Patologia, Cinesiologia, Cinesioterapia, Bioquímica, Biofísica, Fisioterapia Geral (que estuda a história da fisioterapia, seus elementos de trabalho como: os aparelhos, os meios físicos que o profissional pode utilizar, entre outras coisas), as matérias específicas de cada área de atuação do fisioterapeuta como: Ortopedia e traumatologia, Reumatologia, Neurologia, Pneumologia, Cardiologia, Pediatria, Geriatria, Fisioterapia Esportiva,  RTM (recursos terapeuticos manuais), entre outras, além de noções de Psicologia, Sociologia e outrar disciplinas que depende da grade currícular da faculdade ou universidade.



UM HISTÓRICO BREVE



Na antiguidade (mais ou menos entre 4000 a. C. e 395 d. C.) havia uma preocupação em eliminar as doenças através da utilização de agentes físicos ( Sol, luz, calor, água e eletricidade),  massagens e exercícios físicos. Segundo Shestack (1979), "Os médicos na Antiguidade conheciam os agentes físicos e os empregavam em terapia. Já utilizavem a eletroterapia, sob a forma de choques com um peixe elétrico, no tratamento de certas doenças".

Ainda nessa época, a China registra obras de cinesioterapia em 2698 a.C. Na mesma época na Índia usa-se de exercícios respiratórios para evitar a constipação.

A Idade Média, caracterizada por uma ordem social estabelecida no plano divino, foi uma época de lacuna em termos de evolução nos estudos e na atuação na área da saúde. A alta valorização da alma neste período e o interesse pelo desenvolvimento da capacidade física pelas camadas mais privilegiadas parecem ter sido responsáveis por essa lacuna. Desenvolveu-se portanto nesta época uma fisioterapia destinada a outros fins que não o curativo e sim o de imcremento da potência física.

Após esse período de estagnação dos estudos, serge o Renascimento (período entre os séculos XV e XVI), descrito como um momento de crescimento científico e literário. Há então, uma retomada dos estudos onde o interesse não destina-se apenas a concepção curativa, mas também a manutenção do estado nermal exitente em indivíduos sãos.

Entre os séculos XVIII e XIX ocorre a industrialização, momento caracterizado por um avanço na utilização de máquinas e uma transformação social determinada pela produção em larga escala. Houve o desenvolvimento das cidades, bem como surgiram condições sanitárias precárias, jornada de trabalho estafantes, e condições alimentares insatisfatórias que provocaram a proliferação de novas doenças. O surgimento de novas patologias e epidemias exigiram da medicina um desenvolvimento nos estudos. Nessa época parece que todos os estudos na área de saúde concentraram sua atenção ao "tratamento " das doenças e sequelas e deixaram de lado as outras vertentes iniciadas na época renascentista, a "manutenção" de uma condição satisfatória e a "prevenção" de doenças. A atenção ao "tratamento" faz surgir a idéia de atendimento hospitalar. Mais tarde, ainda no século XIX, surgem as especialidades médicas. A Fisioterapia parece ter seguido a mesma direção dividindo-se em diferentes especialidades. No decorrer da história percebemos que a Fisioterapia sofreu todas essas oscilações, passando pela atuação curativa na antiguidade, pela estagnação na Idade Média, pela atenção preventiva concomitante a curativa durante o Renascimento e novamente pelo direcionamento puramente curativo durante a industrialização.

No Brasil, a fisioterapia surgiu como uma forma de solução para os altos índices de acidentes de trabalho.

Fonte: Livro Fisioterapia no Brasil/ Autories: José Rubens Rebelatto e Silvio Paulo Botomé/ Editora Manole Ltda.

 Na Fisioterapia, além da utilização dos aparelhos de ultra-som, ondas curtas, laser, tens, turbilhão, que são todos complementos, há diversos exercícios que utilizamos para cada paciente e suas respectivas patologias, que ajudam a recuperar as funções perdidas e ou com deficiência e estes exercícios são ministrados na área de cinesioterapia que utilizamos: elásticos, pesos, bastões, cama elástica, e muitos outros equipamentos.

Conheça um pouco mais sobre a Fisioterapia e seus benefícios acessando o link service...



OSTEOPATIA



Osteopatia é um tratamento surgido nos EUA, cujo criador foi Andrew Taylor Still, médico que viveu entre 1829-1917 e que apresentou os princípios desta terapia natural.

É um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).

A osteopatia deve ser desmistificada, pois está baseada na anatomia, na fisiologia e semiologia, não deve ser considerada esotérica e sim cartesiana, não há receitas, mas sim um tratamento que se baseia em exame clínico. O exame osteopático deve levar a um ato terapêutico.

A validade da Osteopatia é tão concreta que é recomendada e incentivada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como prática de saúde.

Os tratamentos são feitos com hora marcada e realizados individualmente com sessões de uma hora, sendo uma ou duas vezes por semana, dependendo da complexidade do caso. As possibilidades de tratamento são tão vastas mas para citar algumas patologias, podemos tratar: enxaquecas, cefaleias, disfunções de ATM, cervicalgias, dores em geral, tendinites, bursites, entorses, hérnias de disco, protusões de disco, hérnias de hiato, problemas hormonais, TPMs, constipações intestinais e muito mais; conheça mais sobre a Osteopatia acessando-a em service...

  Mesa de Osteopatia com drop, para realização do tratamento pela Osteopatia.




RPG-RPM


O termo "cadeia muscular" foi descrito pela primeira vez por Françoise Mesièrè em 1947.
Mezièrè, fisioterapeuta francesa, definia cadeia muscular com sendo um conjunto de músculos de mesma direção e sentido geralmente poli-articular (várias articulações). Esses músculos funcionariam com se fossem apenas um. Uma particularidade é que eles se recobrem como telhas de um telhado.

Muitos dos seus ex-alunos adaptaram seu método e outros vieram a criar outros métodos, baseado em seus ensinamentos. As outras abordagens vieram de alguns dos ex-alunos como: Souchard com o Campo Fechado, Godelieve D. Struif com as cadeias musculares e técnicas articulares (GDS), Leopold Busquet com cadeias musculares relacionadas com a coordenação motora incluindo o crânio e as vìsceras e Michael Nisand que relaciona o aumento de tônus com as cadeias musculares.

Por fim como podemos observar, vários autores vieram complementar a idéia original de Françoise Mezièrè sendo portanto interessante unirmos todas as informações em uma só, mas nunca esquecermos daquelas que originou tudo isso.

O tratamento pela RPG-RPM é feito uma vez por semana com terapias de uma hora, nas quais estimulamos os músculos, tendões, ligamentos, nervos e todo sistema nervoso com posições que chamamos posturas que inclusive faz com que os pacientes passem a perceber o seu corpo e trabalhem melhor a respiração. Durante a postura ocorre uma contração muscular do tipo excêntrica, exemplo: região do cotovelo, que se encontra dobrado, observa-se a contração do músculo bíceps do braço ao retornar com o movimento de extensão com um peso leve na mão, para que não estenda rápido, há contração de controle desse movimento, o que chamamos então de contração excêntrica do bíceps do braço; é a mesma contração que ocorre durante o trabalho de postura no RPG. Há portanto um relaxamento dos músculos relacionados e com o tempo de trabalho melhora se a postura, dores, equilíbrio muscular e corporal, etc.

Conheça mais sobre esse método de trabalho acessando o link do RPG em service...




      Mesa de RPG para a realização de algumas das posturas de tratamento pelo método.




Pilates



A busca por mudanças no mundo atual, a começar por si mesmo, tem levado as pessoas à procura de cuidados com a saúde, e atualmente uma das técnicas mais completas e com condições de atender de forma globalizada essas pessoas é o moderno Pilates.

O reflexo da modernidade estampa-se em cada pessoa de maneira distinta e estereotipada por meio da postura. Esta postura altera-se de forma silenciosa e gradativamente onde todos os sistemas do organismo são adequados às mudanças musculoesqueléticas, levando o corpo ao surgimento de dores, retrações, desgastes, fraqueza muscular, etc.

Segundo Souchard (2003), o fato de existirmos como seres vivos nos obriga a interagir com o meio ambiente para mantermos as funções básicas da sobrevivência, ou seja respiração, nutrição e reprodução. A nossa atitude perante a vida fará com que o nosso esquema corporal se modifique e se transforme durante toda a existência. Mante-lô em harmonia depende de como é feita essa interação.

Ainda o mesmo autor, continua explicando que ao nascermos iniciamos o esforço pela vida, onde a inspiração inicial marca a mudança. Conforme a criança se desenvolve, formam-se as curvas da coluuna e iniciam-se as correções para os desequilíbrios ocasionados pela ação da gravidade. O sistema musculoesquelético vai assumindo seu papel no esquema corporal e começa a se adaptar às agressões sofridas pelo meio, muitas vezes deixando sequelas que no futuro poderão se transformar na fonte dos problemas posturais e corporais.

Joseph Hubertus Pilates (J.H.Pilates), que foi o criador desse método lá pelos anos de 1918, teve uma infância marcada por diversos problemas de saúde como: asma, raquitismo e febre reumática, começou a trabalhar seu corpo pensando em ter uma vida saudável, encontrando no esporte uma maneira de superar suas fraquezas e começou a praticar mergulho, esqui e ginástica, e ainda jovem se especializou em anatomia, fisiologia e cultura física. Aos 32 anos, mudando-se para a Inglaterra, aperfeiçoou sua carreira de lutador de boxe. Acabou trabalhando também como artista de circo e treinador de autodefesa de detetives ingleses. Quando começou a I Guerra Mundial foi mandado para os campos de batalha e lá colocou em prática seu programa baseado numa série de exercícios realizados no solo contando com a presença de diversos colegas que praticavam juntos os exercícios propostos. Com isso eles se livraram de uma epidemia de gripe que assolava a europa na época (1918). O programa realizado foi muito bem aceito e todos que o fizeram não foram acometidos pela gripe que matou muita gente.
Mas foi quando J.H.Pilates começou a trabalhar no Hospital, redefiniu suas idéias sobre saúde (reabilitação), ajudando os pacientes acometidos pela guerra, que não conseguiam nem andar. Utilizando molas das camas hospitalares, desenvolveu exercícios específicos que ajudavam no fortalecimento, na resistência e no tônus muscular. Começava ai a idéia de um trabalho de desenvolvimento de uma técnica completa não mais se limitando ao solo, mas ao desenvolvimento de uma série de aparelhos; que mais tarde já de volta à Alemanha, refinou seus equipamentos de mecanoterapia, o Cadilac e o universal Reformer (utilizados até hoje) aprimorando também seu método, desenvolvendo uma série de 500 exercícios de solo. Por essa época desenvolveu com a ajuda de uma enfermeira, Clara, sua esposa, a sistematizar o próprio método, que foi denominado Contrologia, fundando seu próprio estúdio e com total sucesso devido aos resultados trazidos pelos exercícios de fortalecimento e flexibilidade que eles proposcionavam.


 Joseph Hubertus Pilates (J.H.Pilates), costumava dizer: "Não Interessa o que você faz e, sim como você faz". E previu também : "Que estes exercícios são o que as pessoas vão querer no novo milênio".


O Pilates de lá para cá foi aprimorado e desenvolvido por diversas pessoas e reconhecido internacionalmente nos anos 80 com a disseminação do metodo para centros esportivos, de medicina do esporte e de reabilitação de atletas.

Com o avanço das pesquisas em Biomecânica, sabe-se hoje da importância do conhecimento nesta área para um trabalho com segurança e respeitando os limites do corpo o que muito acrescentou ao desenvolvimento do Pilates.

 Portanto Pilates é o método de condicionamento físico e reabilitação do homem moderno, o exercício do terceiro milênio.

Venha conhecer o método Pilates na Clínica CRM...

Para saber mais, acesse o link service...


MICROFISIOTERAPIA


HISTÓRIA


A técnica foi criada pelos franceses Daniel Grosjean e Patrice Bénini na década de 70, quando iniciaram experimentos embasados na embriologia e na filogênese (http://pt.wikipedia.org/wiki/Filogenia), aplicados na esfera muscular.

O nome MICROKINESITHERAPIE nasceu em 1982, discutido entre Daniel Grosjeaj e Dr. Carayon, médico gastrologista, durante uma experiência com 60 pacientes sofredores de colopatia crônica. Cerca de 42 estudos foram realizados, dos quais incluem missões humanitárias, que acontecem em países desfavorecidos e marcados por desastres, como o acidente nuclear em Chernobyl, na Ucrânia, as crianças abandonadas na Rússia, e regiões da África ocidental.


Atualmente cerca de 5.000 microfisioterapeutas atuam na Europa, a maioria na França e na Bélgica. No Brasil, a técnica começou a ser difundida em 2003.


A microfisioterapia é uma técnica de fisioterapia manual que consiste em identificar a causa primária de uma doença ou sintoma e estimular a auto cura do organismo, para que o corpo reconheça o agressor (antígeno) e inicie o processo de eliminação.

Essa agressão primária deixou traços (cicatrizes) que atrapalham o funcionamento das células, esses traços ficaram guardados na memória do tecido, por uma deficiência do sistema imulógico que não conseguiu eliminar o agressor.

Através de uma técnica de micropalpação, o fisioterapeuta procura no corpo onde essas memórias se instalaram, provocando sintomas locais ou à distância. Uma vez encontrados tais traços, realiza-se manualmente atos que simulem a agressão e estimulem os mecanismos de auto-correção restabelecendo as funções do organismo, eliminando assim doenças e promovendo a saúde.

As mãos do terapeuta mobilizam e estimulam os diferentes tecidos de acordo com o tipo de agressão. Esta técnica é aplicável em todas as às idades, num objetivo terapêutico ou não.

O tratamento pode ser preventivo ou curativo, sendo realizado após uma agressão ou um evento que perturbou o indivíduo a fim de auxiliar o corpo a reagir e promover sua auto-cura.

Seus princípios de cura são semelhantes aos da homeopatia, já que ambas seguem duas leis: a cura pelo infinitesimal (o medicamento diluído, a palpação mínima) e pela similitude (o semelhante cura o semelhante).